terça-feira, agosto 31, 2010

Mulheres adultas com acne, é comum?

Um dos atributos mais importantes para a mulher moderna é a boa aparência. Essa preocupação está diretamente ligada à autoestima e qualquer problema que interfira negativamente nesse aspecto é indesejado. Dentre as ameaças que conspiram contra a beleza da mulher está a acne, que atinge cerca de 30% do público feminino e pode ser considerada um dos problemas mais complicado de se tratar.


O surgimento da acne na mulher, na maioria dos casos, ocorre de duas maneiras: a persistente, que continua após a adolescência e a tardia, que se desenvolve a partir dos 25 anos, provocada pelo aumento de hormônios sexuais (andrógenos). Mas estudos revelam que existem outros fatores que podem justificar o desenvolvimento de acne na mulher, como o estresse, que está ligado diretamente à agitação cotidiana.

"O estresse pode desencadear o quadro de acne, pois nessa situação ocorre a liberação do hormônio cortisol. Este hormônio, por diversas maneiras, estimula a atividade das glândulas sebáceas e com isso há uma piora da acne", conta a dermatologista e consultora da Galderma, Dra. Luciana Godoi. Um estudo realizado pela Universidade de Leeds, na Inglaterra, revela que a acne nas mulheres aumentou nas últimas décadas. Para se ter uma ideia, em 1979, a doença atingia apenas 10% das mulheres e hoje o percetual subiu para 30%, o que preocupa cada vez mais o público feminino.

Ainda de acordo com a dermatologista, a acne persiste após a adolescência ou por alterações hormonais ou por um aumento na sensibilidade de receptores na pele. "A paciente pode apresentar alteração na dosagem de hormônios ou todos os exames apresentam-se normais, entretanto a pele dessa paciente capta muito mais esses hormônios que estão presentes em níveis normais no sangue", explica.

Quando a causa é hormonal, o procedimento inicial do tratamento consiste em uma combinação de medicamentos. "Nesses casos, além do uso dos produtos habituais para tratamento da acne, é fundamental uma parceria com o ginecologista e/ou endocrinologista na administração de medicamentos que vão atuar no metabolismo androgênico tecidual", completa a especialista. Vale ressaltar, que para que os medicamentos proporcionem bons resultados, é necessário que as pacientes não abandonem o tratamento que, geralmente, traz resultados a longo prazo.

Hoje, existem boas opções para combater a acne, como é o caso do Epiduo, da Galderma. O medicamento possui maior facilidade de adesão ao tratamento, baixo potencial de efeitos colaterais e atua em três dos quatro fatores da acne. "A associação adapaleno/peróxido de benzoíla pode ser bastante eficaz na melhora das lesões de acne. A principal vantagem é a comodidade da posologia, já que o mesmo pode ser utilizado apenas uma vez ao dia. Mas é importante sempre tratar associadamente o distúrbio hormonal, caso este exista", destaca a Dra. Luciana Godoi (com Fundamento Comunicação Empresarial).


Fonte: FOLHA DE LONDRINA – PR

+ Notícias

NÃO USE MEDICAMENTOS SEM CONSULTAR SEU MÉDICO, NESTE CASO, COSNULTE UM DERMATOLOGISTA.

2 comentários:

Gatinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gatinha disse...

Moro no japao ,tenho acne na regiao do queixo
creio que o meu problema seja hormonal e tambem stress,as vezes tem uma melhora ,as vezes uma piora
quando ocorre uma piora corro pra minha dermatologista,ela me passou Differin gel tambem da galderma uso somente a noite,ele seca rapinho as espinhas,muito bom!